Salar de Uyuni: 2º Dia de tour

Por Silas Payão

Este é o segundo de três artigos referente ao Tour de 3 dias no Salar de Uyuni.

Nós preferimos separá-lo em 3 partes para não acumular muita informação e assim podermos nos aprofundar um pouco mais em cada parte.

Aqui estão os artigos do dia 01 e dia 03 do tour, caso você queira já deixar aberto para ler ou reler.

Esperamos que você goste e qualquer dúvida é só deixar nos comentários!


O segundo dia de tour, saindo novamente da cidade de Uyuni, tem como destino direto as lagunas altiplânicas.
Neste dia, como nós saímos um pouco atrasados, resolvemos pular as menores lagunas e ir direto para as mais bonitas senão não teríamos tempo ao final do dia de ver a laguna colorada (até teríamos mas ela não estaria colorada, pois somente é possível ver a coloração quando o sol bate diretamente na água).

Primeira parada: Lagunas Altiplânicas

As lagunas altiplânicas ficam de 15 a 20 minutos uma da outra, por isso englobaremos todas juntas como se fosse somente uma parada.
Elas tem o diferencial de ter a coloração bem forte uma da outra, com tons de azul, rosa, vermelho, etc.

A coloração é devido a diversos fatores, são devido aos minérios que existem no solo da área, outras são devido a algas, que servem inclusive de alimento para os flamingos, etc.

Por falar em flamingo, na região é possível avistar 3 espécies destes, flamingo-chileno, flamingo-andino e o mais raro que é o flamingo-de-james.

Pra falar a verdade, nós vimos tantos flamingos que não soubemos diferenciar as três espécies, só alguns que eram diferentes pelo bico.
Nós tínhamos na imaginação que os flamingos eram bem maiores, mas são um pouco menores do que uma garça por exemplo.

Segunda parada: Valle de las Rocas

O valle de las rocas é sem dúvidas um excelente lugar para tirar algumas fotos e ficar babando no que a natureza pode fazer.

As formações das pedras no local são de cair o queixo, e o guia nos explicou que elas são assim devido ao vento muito forte que há no local (faz muito frio e o vento parece cortar você ao meio) as pedras foram tomando aquela forma, é claro que levou muitos e muitos anos.

Nesta parte, duas raposas apareceram e começaram a desfilar para os turistas, por sorte, nós fomos o primeiro carro a chegar lá e conseguimos algumas fotos mais de perto!

Pareciam ser mãe e filhote, no qual a primeira pouco se importava com os humanos pelo local. O filhote por sua vez estava um pouco amedrontado.

Árbol de piedra

Ju na arbol de piedra

Ju na arbol de piedra

Sem dúvida é a pedra mais marcante do valle de las rocas. Ela tem o formato de uma árvore, com uma base bastante fina, e tudo de pedra!
Este é o ápice para as fotografias, e se você não for rápido, não vai conseguir tirar uma foto sem aquele intruso no fundo.

Depois disso seguimos para a terceira parada, que é a mais esperada do segundo dia de tour do Salar de Uyuni.

 

Terceira parada: Laguna Colorada

Aqui, o ponto alto de atração do segundo dia, está a laguna colorada, com um vermelho bastante intenso.
Mas como falamos acima, ela precisa ser visitada enquanto ainda há raios solares diretamente nela, senão a cor avermelhada não é vista.

Vale ressaltar que para chegar na Laguna Colorada você precisa entrar no Parque Nacional Eduardo Avaroa, e se você for estrangeiro, precisara desembolsar 150 bolivianos (Na cotação de quando fomos estava 1 real por 1.7 bolivianos, o que dá aproximadamente R$88,00).

Este valor precisa ser pago e nenhum tour já o engloba, portanto, saiba que também precisa levar algum dinheiro.

A laguna colorada é a maior da região e também é habitat natural de milhares de flamingos. Os tours geralmente te levam direto ao mirante onde se pode vê-la praticamente toda, porém você pode descer para desbravar com seus próprios pés.

Laguna colorada - panoramica

Laguna colorada – panoramica

Quarta e última parada: Hostal Rincón de Huayllajara

Nota: Nós sofremos para encontrar o nome deste hostel. rs

A quarta e última parada do segundo dia do tour de salar de uyuni foi no hostel Huayllajara, onde iriamos jantar e descansar para o terceiro e último dia.

O hostel fica num conglomerado de hostels, que na verdade são casas no meio do deserto onde ficam hospedados os turistas que fazem o tour. Você não tem a opção de escolher, ou as vezes tem, mas não recomendamos e vamos falar mais pra frente o porque.

Neste hostel não existe água quente ou energia elétrica. Você pode pagar para tomar um banho quente se quiser, custa 15 bolivianos, mas como já sabíamos que seria assim, compramos as coisas necessárias para tomar um banho de gato.

Esta parte do banho quente é relativo, pois ouvimos bastante de que chegaram lá e não existia banho quente nem pagando, portanto, vá preparado de qualquer forma.

Eles possuem um gerador que fica ligado das 19:00 até as 21:30, portanto, aproveite a janela de tempo para carregar todo seu equipamento, celular, câmeras, etc.

Quando dá as 21:30 praticamente todos já estão dormindo pois terão que acordar as 03:30 do dia seguinte, mas neste conglomerado de hostels há um pequeno bar com alguns jogos como sinuca, ping-pong, etc. Então você pode se divertir um pouco antes de deitar.

Dica essencial

Leve algumas folhas de coca e masque depois do jantar.

Eu tive muitos problemas para dormir lá, na verdade penso que dormi menos de 1 hora no total, e não estava entendendo o motivo. Apesar de estar frio, tínhamos a quantidade suficiente de cobertores para nos aquecer, e a cama nem era tão ruim.

No outro dia descobri que o soroche também faz mal neste sentido, em que não se consegue dormir.
Eu não sabia e tive que arcar com as consequências.

Você também pode gostar disso

Comentar